Suicídio e depressão: Dois temas para reflexão no Setembro Amarelo

Depressão e suicídio estão diretamente ligados e, segundo dados da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), cerca de 96,8% dos casos de suicídio registrados em todo o mundo estão relacionados, principalmente, os transtornos mentais em suas diferentes formas. Em primeiro lugar está a depressão, uma doença que vem se alastrando e a cada ano está atingindo mais pessoas de várias faixas de idade

O mês de setembro traz um importante tema de reflexão social: o suicídio, um mal que ainda é uma das principais causa de mortes entre diferentes públicos. Por isso, este ano, a campanha ‘Setembro Amarelo’, enfatiza a importância da prevenção do suicídio, que tem como um dos fatores, a depressão. O médico Dráuzio Varela define a depressão como “doença psiquiátrica crônica e recorrente que produz alteração do humor caracterizada por tristeza profunda e forte sentimento de desesperança” e complementa orientando que é essencial identificar sintomas e procurar ajuda médica”.


Suicídio não poupa ninguém

A ABP aponta ainda que são registrados cerca de 12 mil suicídios todos os anos no Brasil e mais de um milhão no mundo. Trata-se de uma triste realidade, que registra cada vez mais casos. A entidade destaca também que, cerca de 96,8% dos casos de suicídio estão relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias. Embora o número de casos tenha diminuído cerca de 30% nas últimas 3 décadas, como aponta o estudo Global Burden of Disease Study 2016, o suicídio ainda é a segunda principal causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos.

Fonte Ministério da Saúde/ABP

Depressão, o Mal do Século?

Considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como o "Mal do Século", a depressão é uma doença psiquiátrica que afeta o emocional da pessoa, que passa a apresentar tristeza profunda, falta de apetite e de ânimo, pessimismo, baixa autoestima, que são registradas com frequência e podem ser isoladas ou combinar-se entre si, causando sérios transtornos, podendo, inclusive levar a morte, se não for diagnosticada e tratada a tempo. A depressão também é responsável pela ausência de prazer em coisas que antes faziam bem e grande oscilação de humor e pensamentos, que podem culminar em comportamentos e atos suicidas.
Pesquisa Nacional de Saúde mais recente, de 2013, feita pelo IBGE, identificou que 11,2 milhões de brasileiros sofrem de depressão. A faixa dos 60 a 64 anos lidera o ranking, com 11,1% dos indivíduos diagnosticados. Embora seja uma doença grave, muitas vezes os sintomas são confundidos como manifestações normais no processo de envelhecimento. A entidade alerta ainda que, até 2020 a depressão será a principal doença mais incapacitante em todo o mundo e a segunda causa de mortes mundiais pela doença, após doenças coronárias.

O médico psiquiatra e psicoterapeuta, Augusto Cury diz que a síndrome do pensamento acelerado, uma das causas do estresse atinge desde crianças até adultos e por isso é preciso colocar o controle do estresse como prioridade. .

livro “Ansiedade” (Editora Saraiva)

Fatores de risco que podem levar à depressão

A depressão é um transtorno psiquiátrico que pode atingir pessoas de qualquer faixa etária e qualquer sexo. Sabe-se que o desânimo e os demais sintomas da doença são provocados por desequilíbrios cerebrais, com a diminuição de neurotransmissores como a serotonina, hormônio ligado à sensação de prazer e bem-estar.

  • Histórico familiar
  • Transtornos psiquiátricos relacionados...
  • Estresse crônico
  • Ansiedade crônica
  • Disfunções hormonais
  • Sedentarismo e dieta desregrada
  • Vícios (cigarro, álcool e drogas ilícitas)
  • Uso excessivo de internet e redes sociais
  • Traumas físicos ou psicológicos
  • Pancadas na cabeça
  • Separação conjugals
  • Enxaqueca crônica

Como prevenir a depressão?

Muitos perguntam: há como prevenir uma doença como a depressão, já que se trata de um transtorno de origem mental? Mas, a resposta é positiva e segundo os especialistas do assunto, a melhor forma de prevenir, a exemplo de outras doenças, é cuidar da mente e do corpo. E isso inclui alimentação saudável e prática de atividades física.
O estresse do dia a dia é outro obstáculo. E por isso, ter a possibilidade de compartilhar os problemas com amigos ou familiares é uma opção importante, que pode trazer muitos benefícios.
O médico psiquiatra e psicoterapeuta, Augusto Cury em seu livro “Ansiedade” (Editora Saraiva) diz que a síndrome do pensamento acelerado, uma das causas do estresse, atinge desde crianças até adultos e por isso é preciso colocar o controle do estresse como prioridade.
Mas, como fazer isso? Leitura, aprender coisas novas, ter hobbies, viajar e se divertir são práticas que mantém a cabeça ativa com pensamentos positivos.
A ciência já comprovou que cuidar do corpo reflete na saúde mental de forma positiva. Atividades físicas liberam hormônios e outras substâncias importantes para manutenção do humor.
Na alimentação, também é possível buscar um equilíbrio com receitas ou dietas a base de azeite de oliva, peixes, frutas, verduras e oleaginosas (nozes, castanhas, etc.) são indicadas para prevenir depressão. Esses produtos são ricos em nutrientes que protegem e conversam a rede de neurônios.


Apoio é importante e pode salvar vidas

Nada mais importante que ter o apoio das pessoas que o cercam para aliviar a carga de problemas que muitas vezes podem até serem resolvidos ou diminuídos com um ombro amigo para chorar importante que as pessoas estejam atentas a comportamentos preocupantes nas pessoas de sua convivência, como alterações no humor, no sono e no apetite, desânimo, cansaço excessivo, entre outros, é fundamental. Os especialistas orientam que ao perceber algum colega ou familiar nessa situação, ofereça apoio, ouça com gentiliza, sem qualquer julgamentos ou sermões, e auxiliando a pessoa a procurar ajuda profissional, pois a depressão é uma doença e deve ser tratada como tal. Diferente do que muitos acham que se trata de ‘vaidade’, o caso é muito mais sério e já é tratado como problema de saúde pública.
Dados divulgados pela própria Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que nove em cada 10 casos de suicídio poderiam ser evitados. Por isso, a necessidade de busca por ajuda de pessoas com transtornos mentais, mas também de sensibilização daquelas que estão ao redor de quem apresenta comportamentos que indicam tendências suicidas. Em sua cidade deve haver um serviço de apoio, mas também é possível acessar www.cvv.org.br .
Outro apoio que pode ajudar tanto o paciente, quanto o familiar é buscar ajuda profissional de empresas especializadas no tratamento em homecare com equipes especializadas no acompanhamento domiciliar. E aí, vamos ajudar a quem amamos? Pode ser nossos amigos ou também alguém que você não conhece, mas precisa de sua ajuda. No trecho do vídeo abaixo do Filme 'Vendedor de Sonhos'(WARNER BROS 2016) de Augusto Cury é possível entender o significado do sentimento do suicida.

Quer saber mais sobre os nossos serviços

Entre em contato conosco!

Saúde com o conforto do seu lar

Jundiaí - SP – Av. Pedro Blanco da Silva, 729 - Jd. Santa Adelaide - 11 4523.0198 / 4523.0199

Americana - SP – Rua Peru, 636 – Sala 101 – 1º andar - Santo Antônio - 19 3648.6406

email: contato@ycarehomecare.com.br